SEMANA DA SAÚDE MENTAL: DEPENDÊNCIA QUÍMICA

Tempo de leitura: 4 minutos

Olá, Psicólog@!

Estamos na Semana da Saúde Mental! Aproveitando o momento, desenvolvi este artigo para falar sobre a Dependência Química. A intenção é fomentar a reflexão sobre o tema que é muito presente em editais de Concursos Públicos de Psicologia.

Vamos primeiro à definição: a Dependência Química é classificada como um transtorno mental que causa danos graves para a vida do usuário, afetando o psiquismo e consequentemente o comportamento e a vida social do adicto.

Muitas pessoas acreditam que as dependências provocadas pelas sustâncias psicoativas correspondem a uma conduta insolente, por isto é muito comum ouvir a frase “usa porque quer”, mas pode-se perceber, frente aos danos advindos do uso das drogas, que é algo muito além disso: A DEPENDÊNCIA QUÍMICA É UMA DOENÇA DE ORDEM PSICOSSOCIAL, já que as substâncias psicoativas têm alto grau de adicção e acarretam graves prejuízos para o corpo humano e também para o ambiente, como o exemplo da desestruturação familiar, despesas e reabilitação social.

Faz-se necessário, com isso, o acompanhamento do usuário por profissionais qualificados e especializados para dar suporte e realizar o tratamento adequado. Caso esta etapa seja negligenciada, o adicto poderá fazer uso ininterrupto da droga e acarretar consequências graves para sua saúde mental e física.

Existem várias terapêuticas para o tratamento da dependência química, e nós Psicólogos, prestamos assistência ao paciente, ao analisar as situações que o levam a fazer o uso das substâncias, investigando, junto ao sujeito, as raízes da sua dependência, por meio, por exemplo, da técnica de monitoração dos pensamentos que antecedem o uso da(s) droga(s).  

Esse trabalho terapêutico poderá fazer o adicto desenvolver um sistema de controle dos impulsos que o leva a fazer o uso da substância(s). Outras técnicas que podem ser empregadas no tratamento é o desenvolvimento de habilidades sociais, para controlar as situações de risco.

Mas qual é o tratamento da dependência química mais cobrado em concurso público?

Então, realizei um levantamento dos editais de concursos de psicologia que cobram o tema em questão e a estratégia de cuidado mais cobrada pela política pública de saúde é a redução de danos, que trabalha com o adicto a redução gradativa do consumo da droga.

É utilizada essa técnica, porque a interrupção abrupta da substância psicoativa pode ocasionar consequências físicas e psicológicas para o usuário. O corpo do adicto está acostumado com os efeitos da substância e a falta da droga no seu organismo origina a síndrome de abstinência.

Os efeitos desta síndrome são diversos e podem ser constatados por sinais físicos (taquicardia, náusea, vômitos, deliruim, tremor, etc) e psicológicos (ansiedade, desânimo, lentidão, irritação, insônia, etc) frente à interrupção do uso da droga.

O tratamento ao usuário, dependendo do quadro de cada indivíduo, é conduzido através de vários manejos terapêuticos.

Contudo, eu destaquei a estratégia de cuidado da redução de danos, que atua na diminuição da substância ou a substituição da droga por outra que cause menos agravos à saúde do adicto.  Desta forma, o profissional intervém de forma singular, pois nem sempre o usuário consegue deixar de fazer o uso da droga.

Portanto, a redução de danos busca minimizar os efeitos decorrentes do uso de drogas, a ideia norteadora deste cuidado é garantir a promoção, proteção e recuperação para os dependentes químicos e seus familiares.

 

Quer saber mais sobre a Dependência Química?

No sistema VIP tem um curso completo de Saúde Mental que abrange outros cuidados sobre o uso, abuso e dependência de substâncias e técnicas para o tratamento desse transtorno.

 

Larissa Santana
Assistente Editorial | Concursos PSI
Graduada em Psicologia | UNEB

 

Gostou?

Fique à vontade para compartilhar

 

2 Comentários

  1. MARIA RENÊ OLIVEIRA AGUIAR

    Adorei participar da semana de Saúde Mental! Ótimos textos e vídeos!

    Tudo muito rico , proveitoso e bastante esclarecedor!

    Obrigada!

    Abraços!

    Responder
  2. Gratia Cynthia Maia Porto

    Gostei muito dos vídeos da Vanessa Neves. As explicações são claras. Gostei muito da linha do tempo que explica todo processo de fim das internações manicomiais. 

    Já o artigo sobre dependentes químicos  achei muito sucinto. Gostaria de saber mais sobre " dependências Quimicas".

    Acho que poderia ser disponibilizado um vídeo sobre esse assunto.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *