SEMANA DA SAÚDE MENTAL: SÍNDROME DE BURNOUT

Tempo de leitura: 4 minutos

Olá Concurseir@s!

Hoje vou falar sobre um tema muito recorrente em concurso público que é o da síndrome de burnout, também conhecida por síndrome de esgotamento profissional.

A expressão Burnout foi usada pela primeira pelo médico e psicanalista Freudenberger, em 1978. E se caracteriza por um estado de exaustão emocional ou frustração produzida pela dedicação a uma causa, um estilo de vida ou relação que não produz o resultado esperado.

Esta síndrome é uma grave consequência da exposição crônica ao estresse laboral e atinge as profissões que lidam direto e intensamente com pessoas. Os profissionais acometidos pela síndrome são aqueles que prestam ajuda ou são responsáveis pelo desenvolvimento ou cuidado de outros, como por exemplo, os profissionais da área de educação, assistência social, saúde, recursos humanos, bombeiros e etc. 

Confiram, abaixo, as três dimensões que constituem a síndrome:

– A Exaustão Emocional caracteriza-se pela falta de energia e sentimento de esgotamento de recursos emocionais para lidar com as diversas situações de trabalho;

– A Despersonalização implica no distanciamento afetivo entre o profissional e usuários, seus colegas e seus superiores, que passa a tratá-los com indiferença, ironia e cinismo;

– A Baixa Realização configura-se por uma tendência do profissional a se auto-avaliar de forma negativa, apresentando sentimentos de infelicidade e insatisfação no campo pessoal e principalmente profissional.

 

Entre as causas mais comuns do Burnout, estão:

– A sobrecarga de trabalho;

– A falta de valorização profissional;

– A alta exposição do profissional a riscos químicos e físicos;

– O Contato constante com o sofrimento, a dor e muitas vezes a morte.

 

Saibam agora quais são os principais sintomas:

– A Fadiga ou esgotamento emocional;

– O Sentimento de incompetência profissional e insatisfação no emprego;

– Os Problemas de concentração, irritabilidade e negativismo.

 

 Dica!

Os Sintomas do Burnout são de natureza fisiológica, psicológica e comportamental.

 

Fazendo um recorte para a os profissionais da área de saúde, espera-se que estes possuam experiência clínica e maturidade para lidar com as inúmeras tomadas de decisões difíceis, a exemplo do manejo de pacientes graves, que geralmente tem implicações éticas e morais.  

 

A questão é que o contato diário com a dor e a morte, somados a desgastes emocionais e frustrações constantes, levam os profissionais numa tentativa de manter a sua integridade psíquica, a silenciar o seu sofrimento e negar os seus conflitos, afetando diretamente o seu bem-estar físico e psicológico, o que contribui para o adoecimento.

 

Por fim, trago os Tratamentos Possíveis:

 

É importante que o diagnóstico seja feito por um profissional competente para que não se cometam equívocos e confusões diagnósticas, dada a complexidade dos sintomas. Por se tratar de uma síndrome de natureza multifatorial, o tratamento deve pautar-se na ação multidisciplinar: farmacológica, psicoterapêutica e médica. 

O tratamento farmacológico geralmente é feito através do uso de antidepressivos e ansiolíticos. E é de suma importância que esteja associado ao acompanhamento psicológico, que por sua vez, potencializará o efeito dos medicamentos e auxiliará o paciente a ressignificar a sua história e a encontrar sentido para sua vida.

 

Gostou do artigo? Comente e compartilhe com os amigos!

Bons estudos e um grande abraço.

 

 

Vivian Oliveira
Assistente Editorial | Concursos PSI
Graduada em Psicologia

 

Referências: FONTE

 

 

2 Comentários


  1. Boa noite! 

    Gostaria de agradecer a essa fonte de conhecimento!

    Parabéns Concursospsicologia!

    Obrigado a Equipe Concursos Psicologia!!

    Responder
  2. Gratia Cynthia Maia Porto

    Gostei muito do artigo e também gostei imensamente de participar desse curso.

    Espero que vocês disponibilizem mais cursos gratuitos online.

    É de suma importância para todos, conhecerem a sí mesmos, e ao sermos informados acerca de sintomas que são bastante comuns hoje em dia, fica bem mais fácil procurar o tratamento adequado.

     

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *